"Na unção e glória da segunda casa"

"Na unção e glória da segunda casa"

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

SUPERANDO CRISES

TRÊS EXIENCIAS QUE PRECISAM SER ATENDIDAS DIANTE DA CRISE

Nos estertores deste ano, o mundo foi surpreendido por uma forte crise no sistema econômico mundial. Após anos de sucessivos crescimentos o mundo se acostumou com um tempo de abundante prosperidade.

No auge do otimismo veio a crise, bolsas de valores em queda, ações em desvalorização, diminuição do crédito financeiro e com isto o enfraquecimento do consumo. A reação direta desta crise foi a redução de empregos, demissões, falências, famílias inteiras que foram despejadas de usas casas. Uma verdadeira tempestade.

Mas o que o Pr. Pierre tem haver com a crise? Nós que viemos ouvir a palavra de Deus, o que temos haver com esta crise? Ela nos afeta? Atinge-nos? Sim, a resposta é sim, nós todos temos muito haver com a crise, pois precisamos nos preparar para enfrentar as oportunidades e obstáculos deste novo momento.

No entanto, o tema que sugerimos acima, a saber, Três exigências que precisam ser atendidas diante da crise, e também a pregação desta noite não pretende falar exclusivamente da crise econômica mundial, não desejamos oferecer uma análise de conjuntura sócio-economica. Não! O que temos em mente na verdade são as diversas crises que enfrentamos ao longo e nas diferentes áreas de nossas vidas.

Nossa reflexão quer tocar nos casamentos que se mostram incapazes de prosseguir se não forem reavaliados, nas relações saturadas, nos ministérios atrofiados, nas emoções e afetos que precisam de cura. Para tanto, há que se estabelecer dois pressupostos:

1) A semelhança do pensamento oriental, precisamos inverter o sentido da palavra crise. Onde na se lê impossibilidade, problema, tragédia será preciso pensar e ler oportunidade, possibilidade e desafio.

2) É preciso aceitar o caráter inadiável imposto pela crise.

I – REVER O QUE É DE FATO NECESSÁRIO, RETIRAR O PESO excessivo e colocar o que é indispensável.

RETIRAR O EXCESSIVO

Após a morte de Moisés, Josué e o povo de Deus vivem algumas experiências extraordinárias. Milagrosamente o Jordão se abre, eles rodeiam os muros de Jericó o qual foi derrubado pela mão de Deus. Após a vitória sobre Jericó Josué guia o povo contra a cidade de Ai, no entanto, para espanto de todos o povo é derrotado e fogem do inimigo. Perplexo Josué vai ter com Deus o qual lhe adverte:

"Levanta-te, santifica o povo e dize: Santificai-vos para amanhã, porque assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Anátema há no meio de vós, Israel; diante de vossos inimigos não vos podereis suster-vos, até que tireis o anátema do meio de vós. Josué 7. 13.

O livro de Hebreus também nos adverte:

"Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta" . Hebreus 12.1

Havia algo no meio do arraial dos filhos de Deus que não poderia estar e se lá continuasse o povo não receberia a vitória.

Os homens que acolheram Jonas em seu navio, no meio da viagem se deparam com grande tempestade, após lançarem quase tudo no mar para aliviar o peso do barco se perguntam sobre o que estaria causando aquela tempestade. A sorte lançada recai sobre Jonas. Uma vez que o profeta saiu do barco, a viagem pode prosseguir.

Jonas 1. 1-7.

Veio a palavra do SENHOR a Jonas, filho de Amitai, dizendo: Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até mim. Jonas se dispôs, mas para fugir da presença do SENHOR, para Társis; e, tendo descido a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem e embarcou nele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do SENHOR.

Mas o SENHOR lançou sobre o mar um forte vento, e fez-se no mar uma grande tempestade, e o navio estava a ponto de se despedaçar. Então, os marinheiros, cheios de medo, clamavam cada um ao seu deus e lançavam ao mar a carga que estava no navio, para o aliviarem do peso dela. Jonas, porém, havia descido ao porão e se deitado; e dormia profundamente.
Chegou-se a ele o mestre do navio e lhe disse: Que se passa contigo? Agarrado no sono? Levanta-te, invoca o teu deus; talvez, assim, esse deus se lembre de nós, para que não pereçamos. E diziam uns aos outros: Vinde, e lancemos sortes, para que saibamos por causa de quem nos sobreveio este mal. E lançaram sortes, e a sorte caiu sobre Jonas.

 

No caso de Acã e também no caso de Jonas, havia algo que nunca deveria estar naquele local, mas, estava. No entanto, também há coisas que são benção de Deus em nossas vidas por um tempo, mas a partir de determinado momento precisamos abrir mão delas.

Em uma conversa com um amigo, falávamos sobre alguns efeitos da crise econômica a que nos referimos no inicio deste texto, meu amigo me relatou com tristeza um fato. Como diretor de sua organização, deve que demitir de uma só vez, 40 funcionários. Ele terminou o relato me dizendo que se ele não cortasse os 40, haveria alguém que cortaria 41 e ai ele estaria entre eles. Conto isto para ilustrar o fato de que se nós não cortamos de nossas vidas, o que deve ser cortado, nós mesmos podemos perder as oportunidades.

 

COLOCAR O QUE ESTÁ FALTANDO

Para ficarmos apenas com um exemplo, acho que a carta a Igreja de Éfeso é o bastante. João inicia a carta destacando as qualidades daquela comunidade de fé. Trabalhadora, paciente, fiel, incansável ou seja uma igreja perseverante. No entanto a narrativa continua e o Apostolo é incisivo: "Tenho, porém contra ti que abandonaste o primeiro amor". E é justamente isto que precisa ser colocado de volta, caso contrário eles perderiam o seu lugar.

A pergunta que se nos apresenta diante da narrativa acima é clara. A pergunta é pelo que está faltando em nossas vidas? Em nossos relacionamentos com Deus, com a família, na igreja, no trabalho. O que falta em nós?

OFERECER SOLUÇÕES NOVAS A VELHOS E NOVOS PROBLEMAS.

Mateus 5 – 21, - 22  

  Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar estará sujeito a julgamento. Eu, porém, vos digo que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento...

Os reis magos foram por um caminho, mas voltaram por outro caminho.

Mateus 2 - 12  

Sendo por divina advertência prevenidos em sonho para não voltarem à presença de Herodes, regressaram por outro caminho a sua terra.

Nós somos agora, homens e mulheres espirituais, não podemos enfrentar nossos desafios com as armas carnais.

VER O QUE ESTÁ ALÉM DA CRISE.

Na crise precisamos antecipar o que virá depois. Precisamos construir caminhos que nos levem para além da murmuração e reclamação. Aquele que no meio da tempestade consegue enxergar os bons portos enche de alegria, esperança, fé e força seus corações e assim, conseguem superar a tribulação.

O ponto final do ser humano não se dá diante das crises e lutas da vida. A derrocada se dá diante da angustia de não poder enxergar o dia seguinte.

QUERO TRAZER A MEMÓRIA O QUE PODE ME DAR ESPERANÇA!!

Nenhum comentário: